Estômago

Limonada de melancia

Hoje foi dia de piquenique com os amigos mas já estou aqui a pensar no próximo para testar esta receita que encontrei na Lille Nord, uma revista de Copenhaga que lançou este ano o primeiro número em papel mas já tinha algumas edições digitais. É uma versão ainda mais fresca da tradicional limonada, e tudo porque junta melancia à receita habitual (à qual eu gosto de acrescentar uns raminhos de hortelã). Se quiserem experimentar primeiro e contar como correu, aqui vai:

Receita para 1 litro e meio:

1 melancia
200 ml de sumo de limão acabado de espremer (cerca de 6 limões)
150 g de açúcar
meio litro de água
água com gás

1. Tirar as grainhas da melancia e triturar na máquina batedora ou com a varinha mágica. Passar num escorredor para tirar alguma grainha ou pedaço de polpa mais teimosa e reservar.

2. Dissolver 150 gramas de açúcar em meio litro de água aquecendo em lume brando. De seguida deixar arrefecer.

3. Espremer os limões e juntar, num jarro grande, o sumo de limão, o sumo de melancia e a mistura de açúcar.

4. Pôr no frigorífico e servir com rodelas de limão, pedras de gelo e um pouco de água gaseificada. Opcional: congelar flores nas pedras de gelo, para uma fotografia mais bonita e um aspecto ainda mais girly e cor-de-rosa.)

limonada2

Para ver a receita original e estas quatro outras propostas para acompanhar a “melanciada”, é ir aqui.

Standard
Estômago

Le Passe Vite

Andava mortinha por estrear esta rubrica desde que me deparei com o romance Coração, Cabeça e Estômago, do Camilo Castelo Branco, onde cada parte do livro corresponde a uma fase da vida do protagonista. Mas tímida demais para inaugurar o estômago deste blog com aquilo que me sai das mãozinhas na cozinha, resolvi deixar a coisa para especialistas e divulgar, para quem ainda não conhece, o blog maravilhoso da Joana Alves, Le Passe Vite. A varinha mágica mistura uma combinação que para mim é infalível: receitas vegetarianas, muita imaginação e fotografias lindas, onde tudo tem bom gosto e um aspecto delicioso.

O melhor é que não é só fogo de vista. Na parte das encomendas há várias coisas que se podem comprar e são tão boas que voam num instante (eu provei a granola de avelãs e chocolate e comi aquilo tão depressa que tive de me ir ver ao espelho para comprovar que não me tinha transformado num esquilo). A última receita – tarteletes de mousse de chocolate e abacate, esta coisa pecaminosa aqui em baixo à direita – trouxe uma boa notícia: está para breve um livro de receitas todo pensado pela Miss Vite, o que promete muito.

Fotografias do Le Passe Vite.

Standard